Silicone e Gravidez

Quase todas as mulheres que desejam um implante de silicone, têm o sonho de ser mãe um dia, e ficam na dúvida entre a plástica e amamentação. A boa notícia é que as futuras mamães não precisam se preocupar, a prótese não atrapalha o aleitamento materno.

O índice de problemas na produção e ejeção do leite em pacientes que se submetem ao implante de silicone é muito pequeno. Isso acontece, pois o posicionamento do implante subglandular ou submuscular não altera significativamente a capacidade glandular da mama. Apenas há uma ressalva em relação às incisões periareolares, pois elas, ao contrário das outras, atravessam o parênquima mamário, podendo causar fibrose intraglandular.

Em contrapartida, tudo isso pode mudar quando a colocação do implante de silicone está associada à mastopexia ou mamoplastia redutora. Estas cirurgias podem danificar nervos, ductos e glândulas produtoras de leite, tornando a amamentação difícil.

Caso a cirurgia mantenha o mamilo e a aréola conectados ao tecido mamário localizados logo abaixo deles, existe uma boa chance do aleitamento materno não ser prejudicado. Entretanto, nos caso em que o complexo aréolo-mamilar é deslocado deste tecido, para ser reposicionado mais superiormente, a produção de leite e a sensibilidade da área pode ser afetada.

A dica para as futuras e atuais mamães é evitar cirurgias que gerem grandes mudanças na arquitetura das mamas. Caso contrário, é aproveitar, quase sem medo, as próteses de silicone sem ter sua capacidade de amamentar afetada.